Suor e muita força no levantamento do Maibaum

O evento estava dentro da programação da Maifest, promovida pelo grupo alemão Rotkappen

Publicado: 03/05/17 • 18h26
Atualizado em: 09/05/17 • 09h55

O tradicional levantamento do Maibaum foi realizado na segunda-feira (01) na praça ao lado da praça Castelo Branco, em Rolândia, e exigiu o esforço, e suor, de dezenas de homens por mais de quatro horas. O evento estava dentro da programação da Maifest, promovida pelo grupo alemão Rotkappen. Infelizmente, apesar de todo o esforço, um plano B teve de ser usado e a “Árvore de Maio” terminou de ser erguida por um guincho, o que acontece em muitas cidades alemãs nos dias de hoje.

O Maibaum de Rolândia é um mastro de mais de 20 m e com mais de 1,5 toneladas, feito a partir de um eucalipto. O costume nasceu no sul da Alemanha, sempre pedindo fertilidade e boas colheitas – é a despedida do inverno no hemisfério norte. O Maibaum de Rolândia ainda será adornado com escudos que representam as tradições e riquezas de Rolândia como os brasões das famílias que povoaram e contribuem com a cidade até hoje. Essa operação deve acontecer neste sábado (06).

Entenda
O Maibaum marca a entrada de uma época próspera na cidade de Munique, a chegada do calor com a primavera e o início da época da colheita. Aqui na Baviera, ele tem o mastro nas cores azul e branca, que simbolizam as cores da bandeira do estado, além de prosperidade. Todos os anos, no dia 1 de maio, há uma festa tradicional para a troca dos mastros, confeccionados pelos moradores do bairro, região ou dos vilarejos. 

Todo o cuidado é pouco durante a produção, pois este imenso mastro pode ser roubado (Maibaum klauen, em alemão), de uma forma amigável, no meio da noite. Para devolver o mastro, o grupo que o “roubou” pede cerveja e comida de graça.

Por tudo isso, na produção da nova Árvore de Maio, as tarefas são bem divididas: há um grupo destinado à segurança do Maibaum, vigiando dia e noite para que ninguém o roube. Resumidamente essa é a brincadeira, mas com regras (que variam de local pra local). No dia da troca, o Maibaum não pode ser mais roubado, até mesmo na noite anterior, dia 30 de abril, conhecida na Alemanha como a Freinacht (noite livre), noite na qual os locais cometem “travessuras” pela cidade, de forma extrovertida e não ofensiva.

Envie seu comentário:
Comentário mediante a aprovação.