Nosso Hawking: Orion é destaque em olimpíadas científicas

Rolandense de 17 anos tem títulos e menções nas áreas de Robótica, Astronomia e Astronáutica, Física, Química e Ciências

Publicado: 05/01/19 • 12h31
Atualizado em: 17/01/19 • 18h14

    Quem vê Orion de Macedo Xavier Villanueva Filho, de 17 anos, nem desconfia que o adolescente é o atual medalha de ouro na Olimpíada Brasileira de Robótica, medalha de ouro na Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica, tem menções honrosas em Olimpíadas Brasileiras de Química, além de ser bicampeão paranaense também em Química. Isso só para citar algumas de suas medalhas. “No total, são 14 medalhas e menções. Uma boa colheita, não acha?”, pergunta a mãe, Leila Nazareth da Silva Rosa de Macedo Xavier Villanueva.

    “De todas essas Olimpíadas Científicas que disputei, considero três mais importantes: o bicampeonato paranaense de Química (ganhou em 2017 e 2018), a medalha de prata no Brasileiro de Ciências e a de Ouro no Brasileiro de Robótica”, revelou Orion, que acabou o ensino médio no colégio Bom Jesus Santo Antonio. Em Química, o rolandense é o único estudante a conseguir medalha de Ouro em Química na modalidade A (para alunos de 1º e 2º anos) e Ouro na modalidade B (alunos de 3º ano). “Isso na Olimpíada Paranaense de Química”, comemorou.

    Fã de Isaac Newton, Albert Einstein, Stephen Hawking e de Nikola Tesla, entre outros grandes cientista e físicos, Orion gosta de Química, Física, Astronomia, Ciências, Robótica... As medalhas que conquistou em Olimpíadas Científicas fazem com que Orion procure estudar mais e também podem lhe ajudar a entrar em uma universidade sem ter que passar por um vestibular. “Como estudo sempre a mais, fico preparado para qualquer vestibular. Neste ano, pela primeira vez, a Unicamp abriu vagas para olimpedeiros”, afirmou Orion. 

    O olimpideiro escolhe o curso que quer fazer e faz sua inscrição, além de mandar seus certificados de participação e colocação em Olimpíadas Científicas Nacionais. A diretoria da Universidade faz uma classificação dos inscritos e reservam um número de vagas em determinados cursos. “Dessa maneira, eu poderei ingressar na Unicamp sem ter que fazer o vestibular. Eu fiz a inscrição na Unicamp para Engenharia Elétrica usando o Ouro da Olimpíada de Robótica”, ressaltou o estudante. De acordo com Orion, o resultado deve ser divulgado em fevereiro de 2019. Além disso, Orion também fez o vestibular da USP e da UEL para Física.

    No meio do ano, o adolescente já havia feito vestibular da UEM para Engenharia Mecânica e havia passado, em 2º lugar, mas não vai fazer o curso. A intenção de Orion, se passar em todas as universidades (USP, Unicamp e UEL), é fazer Física na USP, campus de São Carlos. “Se eu conseguir apenas a Unicamp, provavelmente eu troque de curso mais adiante para a área de Física, Engenharia Física, Física Médica. A Unicamp tem várias especialidades em Física”, enfatizou. “Mas ainda tenho vontade de aprender mais sobre Química, Ciências. Vou fazer a segunda fase da USP e esperar pelos resultados”, afirmou. O resultado d USP sai em janeiro e o da Unicamp será em fevereiro.

    Vida
    Orion é filho único de Leila e de Orion de Macedo Xavier Villanueva, médico rolandense muito conhecido e que faleceu aos 91 anos em 2015. Ele começou a estudar no colégio Alfa, depois passou para o colégio Roland, onde terminou o Ensino Fundamental. “Foi lá que comecei a participar de Olimpíadas de Matemática, mas não passava da primeira fase”, relembra Orion. Aí, o rolandense prestou um concurso e conseguiu uma bolsa de estudo no Bom Jesus, onde foi incentivado e pegou gosto de vez pelas Olimpíadas Científicas. Apesar dos inúmeros bons resultados em olimpíadas, Orion ainda aguarda por mais dois: a Olimpíada de Física, tanto a estadual quanto a brasileira. “Os resultados saem em fevereiro”.

    Nem só estudo
    Corintiano, pero no mucho, Orion já fez Muay Thai, gosta de caminhar e faz academia há mais de um ano e meio. “Mas jogo futebol de vez em quando, mas não me arrisco a falar que sou bom jogador”, brinca. Em Rolândia, torce pelo Nacional. O sonho maior é trabalhar na NASA e, quem sabe, dar um passeio pelo espaço.


2018
Ouro na Olimpíada Brasileira de Robótica
Ouro na Olimpíada Paranaense de Química, regional de Apucarana
Ouro na Olimpíada Paranaense de Química, estadual
Menção Honrosa na Olimpíada Brasileira de Química
Ouro na Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica
Menção Honrosa na Olimpíada Brasileira de Matemática de Escolas Públicas
Prata na Olimpíada Nacional de Ciências

2017
Ouro na Olimpíada Paranaense de Química, regional de Apucarana
Ouro na Olimpíada Paranaense de Química, estadual
Bronze na Olimpíada Brasileira de Física (estadual)
Menção Honrosa na Olimpíada Brasileira de Física (nacional)
Bronze na Olimpíada Brasileira de Química
Menção Honrosa na Olimpíada Brasileira de Matemática de Escolas Públicas

Fotos desta matéria

Envie seu comentário:
Comentário mediante a aprovação.