Assistência: CCI retorna na segunda

Macarronada marca o início das atividades do ano para 270 idosos atendidos pelo CCI de Rolândia

Publicado: 09/02/19 • 15h07
Atualizado em: 25/08/19 • 00h07

   Os idosos e as idosas aguardam com ansiedade a volta das atividades do CCI (Centro de Convivência do Idoso) em Rolândia, que será nesta segunda-feira (11). A equipe vai preparar uma macarronada especial a partir das 11h da manhã para marcar o início do ano. O evento terá a presença do prefeito interino Roberto Negrão (PR) para dar as boas-vindas ao grupo de idosos.


   A secretária de Assistência Social, Sandra Martins, já adiantou que está em negociação a mudança do horário do transporte público para que os idosos não precisem sair tão cedo de casa para frequentar o CCI. Atualmente, o CCI tem 270 idosos cadastrados, que frequentam de forma alternada participando de oficinas e palestras. “Tem dias que são 120 idosos e outros, 180. Depende do dia e da atividade”, explicou Daiane Cirilo, assistente social responsável pelo CCI.

   Mais de dez pessoas compõem a equipe do CCI, entre assistente social, psicóloga, cozinheiras e voluntários. Em 2018, as estagiárias da secretaria realizaram um levantamento socioeconômico com os idosos e foi constatado que nenhum deles passava necessidades financeiras. A oficina de música do CCI é comandada pela voluntária Maria Luiza Muller e o artesanato fica com a voluntária Eide Fernandes. A secretaria de Esportes cede o professor Ubiratan “Bila” para fazer o alongamento com os idosos. A equipe de assistentes sociais e psicólogas também realiza periodicamente atividades de convivência com os membros.

Orçamento apertado
   O orçamento do CCI acabou sendo reduzido e a equipe teve que otimizar o uso do recurso para continuar fornecendo café da manhã, da tarde e almoço aos idosos que frequentam o local. No ano passado, o Governo Temer pagou apenas seis das doze parcelas de R$ 11.275,00 que mantém o CCI em funcionamento. Não há previsão que essas parcelas restantes sejam pagas e nem se o Governo Bolsonaro continuará sendo repassado – até fevereiro nada caiu na conta da Prefeitura. “Neste ano, com a mudança do governo federal, não temos orientações federais e estaduais de como vai ficar essa questão”, relatou Sandra.

   No ano passado, eles conseguiram atender a demanda de alimentação com o superávit da conta e a ajuda do governo municipal via fonte mil. “Conseguimos fechar o ano, mas com bastante dificuldade”, afirmou. Os gastos com alimentação representam 80% do orçamento do CCI, sendo o restante para manutenção e aquisição de itens de artesanatos. Para 2019, a alimentação para os idosos será mantida, mas de forma repensada e mais econômica para ser compatível com o baixo orçamento disponível. “Vai continuar tendo almoço e cafés”, garantiu Sandra.

Fotos desta matéria

Envie seu comentário:
Comentário mediante a aprovação.