Sexta é dia de lutar contra o aquecimento global

Evento mundial começou com ato solitário de adolescente na Suécia e está se espalhando pelo mundo, principalmente entre os jovens

Publicado: 14/03/19 • 11h31
Atualizado em: 14/03/19 • 11h40

    Nesta sexta (15), acontece o 1º Dia Internacional da Mobilização da Juventude contra o Aquecimento Global. Em Rolândia, pessoas de todas as idades e preocupadas com o tema se reúnem no Calçadão a partir das 14 horas. Estudantes do colégio Kennedy, e possivelmente de outras escolas, já confirmaram presença no evento, que terá atividades ambientais e algumas surpresas.

    O movimento e a convocação mundial da juventude para lutar contra o aquecimento começou na Suécia. A adolescente Greta Thunberg começou a ir todas as sextas-feiras até a frente do Parlamento de Estocolmo, onde exibe o seu cartaz “Greve escolar pelo clima”. A ativista serviu de inspiração para uma mobilização internacional, que começou na Alemanha e na Bélgica. Para a "greve mundial pelo futuro", estudantes de todo o mundo preparam-se para não comparecer às aulas nesta sexta.

    "Fazemos greve para dizer aos nossos governos que devem fazer seu dever de casa e apresentar provas de que o mundo está adotando as medidas necessárias para limitar o aquecimento a no máximo 2ºC em comparação à era pré-industrial, como prevê o Acordo de Paris de 2015", afirma a convocação no Facebook. De acordo com o "FridaysforFuture", nome do novo movimento contra as mudanças climáticas, mais de 1.000 eventos estão previstos em 100 países.

    Em Rolândia, a família Bimini está liderando a mobilização, que deve ser bem eclética. “Tivemos uma vista surpresa de colaboradores do IAP e os envolvemos na nossa mobilização. Eles sonham em criar mais Unidades de Conservação nos municípios, o que aumentaria a proteção ambiental e a arrecadação de recursos para o meio ambiente e, até, poderia ser um renda extra para o agricultor. No dia em que a questão ambiental se inserir na economia vamos ter a tão necessária Restauração Ambiental: isso tem tudo a ver como medida concreta para abaixar o aquecimento global”, afirmou Daniel Steidle, da Fazenda Bimini.

    “Será um evento aberto para trocas de ideias e, principalmente, ajudar essa juventude dinâmica a ter uma bela causa na vida”, ressaltou Daniel. “Como efeito colateral, nesta interação com a juventude, vamos também rejuvenescer. Seria a fonte da eterna juventude?”, questionou o ambientalista. “Com ou sem chuva, estaremos no Calçadão na sexta à tarde”, concluiu Steidle.

    Kobra contra o Aquecimento
    O renomado artista Eduardo Kobra está no Principado de Mônaco desde o sábado (09) pintando seu primeiro mural naquelas terras. A arte do brasileiro ilustrará o posicionamento sustentável e responsável de Mônaco, com foco em um dos grandes temas dos dias atuais: o aquecimento global. A obra, cujo tamanho será de 12m de largura por 7 m de altura, ficará exposta com grande visibilidade no rochedo de Mônaco, um dos principais pontos do país, indefinidamente.

    Kobra é um dos principais artistas brasileiros da atualidade e é reconhecido mundialmente por seu grafite único e original. Sua arte transforma cenários urbanos e chama a atenção não apenas pelo estilo, mas também pelas causas que representa, como por exemplo a união dos povos. Ele já pintou mais de 500 obras espalhadas pelo Brasil e outros 17 países, que se tornaram atrações turísticas por si só e se destacaram no meio das paisagens cosmopolitas.

    “Para mim é um privilégio poder trazer este primeiro trabalho aqui para Mônaco. (...) Eu acabei tendo essa conexão justamente por conta desta visão sobre a questão do aquecimento global. (...) E poder ter uma obra aqui é realmente um marco na minha trajetória”, afirmou Eduardo Kobra.

Fotos desta matéria

Envie seu comentário:
Comentário mediante a aprovação.