Festival Cultural merecia mais público

Evento realizado no Nanuk trouxe apresentações de dança com um final só de viola; qualidade merecia mais gente aplaudindo

Publicado: 27/08/19 • 20h07
Atualizado em: 16/09/19 • 05h51

    O 1º Festival Cultural Solidário de Rolândia foi aplaudido de pé e elogiado por todos que foram até o Centro Cultural Nanuk na noite do sábado (24). Organizado pelos grupos folclóricos do município, os alemães Volkstanzgruppe Weisser Schwan e Rotkappen e o Grupo de Artes Nativas Laço da Amizade, o festival trouxe danças de várias origens e terminou com uma apresentação de viola caipira. O evento, que teve o apoio da Secretaria de Cultura e Turismo, merecia um Nanuk lotado.

    O primeiro grupo a se apresentar foi o japonês Fujinkai, da Associação Cultural e Esportiva de Rolândia (ACER), com 13 mulheres mostrando a cultura e as danças típicas do País do Sol Nascente. Em seguida, o grupo Black White fez apresentações de danças de rua, inclusive com o break, tudo ao som de flashbacks dos anos 1970/80/90 – cerca de 15 pessoas participaram dessa apresentação.

    As danças alemãs foram os destaques, então, com o Rotkappen e o Weisser Schwan, que teve o maior número de participantes: 36. Isso porque o grupo fará apresentações combinadas entre as categorias infantil (7-11 anos), infanto-juvenil (12-15 anos) e adulto. A dança gaúcha foi a última a subir no placo do Nanuk com o Grupo de Artes Nativa Laço da Amizade.

 
  13 violas
    A Companhia Ouro Verde de Viola Caipira de Londrina fechou o Festival com grande estilo. A Cia levou 13 violeiros (e violeiras) para o evento e brindou o público com pérolas do cancioneiro como “Índia”. Entre as modas, muita conversa e bate-papo do grupo com o público.

    O objetivo do 1º Festival Cultural Solidário de Rolândia foi o de ajudar as entidades filantrópicas, além de mostrar ao público alguns segmentos do folclore brasileiro, alemão e japonês. A data foi escolhida pela proximidade com o Dia do Folclore Brasileiro, comemorado na quinta, 22 de agosto.

    Filantropia
    A entrada para o evento “cobrada” pela organização foi um quilo de alimento não perecível ou produtos de higiene: no total, foram 220 quilos de alimento e 64 itens de higiene. Tudo o que foi arrecadado será redoado para o Lar dos Idosos Cairbar Schutel e a Casa Abrigo do Projeto CEEL, da Igreja Cristianismo Decidido. Houve, ainda, venda de pipoca, algodão doce, chope, refrigerante e suco, e 30% do lucro dessas vendas será usado para a compra de um andador que será doado ao Lar. Os apoiadores do evento foram a Padaria Roland, Supermercado Juliana, Oma’s Kaffee Haus, Açougue Central (Metzger), Empório Som e Bubba Burger.

Fotos desta matéria

Envie seu comentário:
Comentário mediante a aprovação.