A novela da Ritalina perto do fim

Depois de idas e vindas, empresa afirma que remédio está sendo despachado para Rolândia; Licitação foi concluída em março

Publicado: 10/06/19 • 09h43
Atualizado em: 22/09/19 • 16h25

    Parece que os 36 mil comprimidos de Ritalina devem chegar ainda esta semana nas farmácias da rede municipal de Saúde de Rolândia. Isso depois de muitas idas e vindas e de desencontros entre a prefeitura e a empresa que ganhou a Dispensa de Licitação por Justificativa, realizada em março, de pois de duas licitações que deram desertas. Inicialmente, a empresa ganhadora declinou da Dispensa e não quis entregar o medicamento, de acordo com as palavras de Marisa Mendes Ferreira, secretária de Saúde. 

    Depois disso, a empresa foi notificada pela prefeitura e alegou que o prazo da documentação com os valores estava vencido e que precisaria de uma documentação com novo prazo, mas mantendo-se os valores, algo em torno de R$ 34 mil pelos 36 mil comprimidos. Isso também foi feito pela prefeitura. Por último, a empresa alegou que queria receber o pagamento para enviar o medicamento e gerou nova tensão no processo, já que a prefeitura tem o prazo de até 30 dias para pagar por qualquer comprar. Isso depois de receber o material. De acordo com informações recolhidas pelo JR, uma nova notificação seria dada à empresa.

    Enquanto isso, as mães de crianças que precisam da Ritalina e, mesmo os adultos, aguardavam e sofriam as consequências desse doloroso processo de espera pelo medicamento. Muitas idas até as farmácias do Posto Central para ouvir que a Ritalina estava em falta. Cerca de 200 pessoas de Rolândia consomem algo entre 8 e 9 mil comprimidos de Ritalina por mês. A quantidade que seria comprada, 36 mil comprimidos, deveria atender a demanda até outubro, quando uma nova licitação já deve ter sido feita.

    Voltando ao caso, a reportagem do JR entrou em contato com a empresa vencedora da Dispensa para falar sobre o assunto. Representantes da empresa não quiseram comentar as afirmações e as razões da não entrega do medicamento conforme o contrato assinado. A empresa também afirmou que era apenas uma distribuidora e que não fabrica a Ritalina, mas revelou que o medicamento já estava na empresa e que estaria sendo despachado para Rolândia, conforme o contrato assinado. Essa conversa se deu na manhã da quinta-feira (06).
    
    Processo
    Em 3 de abril, foi feita a primeira publicação da Dispensa de Licitação por Justificativa em Diário Oficial e, a segunda publicação, atendendo a lei que exige duas publicações, foi feita no dia 10 de abril. A dispensa seguiu então para o setor de Contratos, que confeccionou o contrato e, coletou as assinaturas necessárias. O último a assinar foi o prefeito. A Saúde, então, recebeu uma cópia do contrato autorizando a compra. 


Fotos desta matéria

Envie seu comentário:
Comentário mediante a aprovação.