Não dê dinheiro e, sim, oportunidades

Secretaria de Assistência Social lança campanha que afeta diretamente as pessoas em situação de rua do município de Rolândia

Publicado: 17/03/20 • 14h42
Atualizado em: 17/03/20 • 14h48

    Nos últimos meses, devido à crise pela qual passa o país, a quantidade de moradores de rua aumentou muito pelo Brasil todo. Em Rolândia, não é diferente. Com o objetivo de discutir sobre as políticas de atendimento às pessoas em situação de rua do município, a Secretaria de Assistência Social de Rolândia lançou a campanha “Não dê dinheiro e, sim, oportunidades” durante uma reunião na terça (10). As placas da campanha devem estar nas ruas em abril.

    Placas serão instaladas pelas ruas de Rolândia, com letreiros contendo o slogan da campanha e o contato telefônico da Casa Abrigo Ceel, que fará o trabalho de abordagem das pessoas que pedem dinheiro. “Um total de 18 placas serão espalhadas em várias regiões da cidade”, explicou a secretaria da Assistência, Silvana Manganotti. 

    A pessoa que for abordada por pedintes deve ligar para o Ceel (3311-6855). “A questão de pessoas em situação de rua não é algo que ocorre só em Rolândia. Nosso foco com a campanha é ter a participação de todos para que possamos ter resultados positivos”, ressaltou.

    De acordo com a diretora técnica da Assistência Social, Fernanda Buranello, Rolândia tem cerca de 20 pessoas em situação de rua. “Esse é um dado que é difícil mensurar com exatidão pois sempre está em constate mudança. Mas temos essa média de pessoas que todos os dias estão em trânsito e que às vezes também passam pelo Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas). Tem moradores de rua que são de Rolândia. Os que vêm de outras cidades são em número maior que esse”, explicou Fernanda.

    A Casa Abrigo Ceel (Cultura, Educação, Esporte e Lazer) é mantida pela Igreja Cristianismo Decidido de Rolândia. A entidade recebe moradores de rua a partir dos 18 anos de idade. Os homens ficam na rua Floresta, Vila Oliveira (local onde funcionava o antigo albergue) e as mulheres, na Av. Castro Alves. Lá eles oferecem alimento e pouso para o morador e, no dia seguinte, conversam com a pessoa para ver há interesse em ser inserida no projeto Ceel. Uma psicóloga e um assistente social fazem a entrevista para saber como ajudar de acordo com a especificidade de cada caso. O projeto atua em parceria com serviços e órgãos públicos como a Secretaria de Assistência Social.

    “A contribuição do Ceel nesta campanha também será de conscientizar as pessoas a não darem dinheiro. Nós iremos sair pela cidade com panfletos com explicações sobre este projeto”, afirmou o pastor Edson Gomes, coordenador do Ceel. O religioso lembrou que é importante a população citar o Ceel quando for abordada por um morador de rua.

    Segundo o Tenente Fracaro, do 15º BPM, as equipes se deparam constantemente com pessoas em situação de rua. Para ele, participar desta reunião na secretaria de assistência social foi um momento importante que vai auxiliá-los na busca por soluções deste problema. “Vamos pensar em outras medidas para ajudar nesta questão que ocorre com frequência no município. As equipes realizarão mais abordagens, inclusive ao longo das madrugadas, e ao encontrarem estes indivíduos vão oferecer e proporcionar para eles a condição de ir para um abrigo e melhorar a situação pela qual estiverem passando”, afirmou o tenente.

    Participaram, ainda, da reunião representantes de clubes de serviços, da Associação Comercial e Empresaria de Rolândia (ACIR) e os vereadores Alex Santana, Rodrigão, Irineu de Paula e Maria do Carmo. 

Fotos desta matéria

Envie seu comentário:
Comentário mediante a aprovação.