Sesa confirma morte por dengue em Rolândia

Adolescente de 16 anos faleceu no dia 21 de janeiro e não tinha comorbidade

Publicado: 31/03/20 • 16h19
Atualizado em: 03/06/20 • 02h53

   A Secretaria Estadual de Saúde do Paraná (Sesa-PR) confirmou uma morte por dengue no município de Rolândia em boletim nesta terça-feira (31). Robert Handrade Soares, 16 anos, morador do jardim Santiago, morreu na manhã do dia 21 de janeiro e, desde então, a Sesa investigava a causa de sua morte. Robert não tinha comorbidade. A família, que ainda se encontra enlutada, não irá se manifestar.


Epidemia de dengue
   O Boletim da Sesa revela que são 69 óbitos pela doença no Estado em 2020. Rolândia tem 332 casos de dengue confirmados desde agosto de 2019 e soma 2.605 casos notificados. O município, assim como vários outros no Estado, encontra-se em estado de epidemia da doença. O boletim estadual de hoje mostra 87.900 casos confirmados de dengue no Paraná. 

Relembre o caso
   Robert Handrade Soares, 16 anos, morava no Jardim Santiago e tinha acabado de passar para o 1º ano do Ensino Médio. O adolescente começou a passar mal na sexta-feira, 17 de janeiro, tinha dores no peito e na cabeça. Também vomitava quando comia. Ele foi levado para a UBS, tomou soro e voltou para casa.
   No final da madrugada da terça-feira (21), Robert pediu água à mãe e, pouco depois das 07 horas da manhã, começou a passar muito mal. O socorro foi chamado e tentaram reanimar o adolescente, mas já era tarde demais. A Saúde coletou material para exame e enviou até o Laboratório Central do Paraná (Lacen-PR).

Luta de todos
    Apesar de muitas notícias sobre o coronavírus, o município de Rolândia encontra-se em situação de epidemia por causa da dengue. O município tem mais de 330 casos confirmados da doença e 2,6 mil notificações. O pedido da Vigilância é para que cada pessoa cuide de seu quintal e dos terrenos baldios próximos de sua casa para se diminuir o número de criadouro do mosquito Aedes aegypti.
   Como se sabe, desde setembro o Governo Federal não fornece o inseticida que mata o Aedes em sua fase adulta. A aquisição e distribuição são de responsabilidade do Governo Federal e o município não pode fazer a compra do produto, que falta em todas as cidades do Brasil. No mês passado, a Vigilância de Rolândia conseguiu 40 litros do veneno na 17ª Regional de Saúde e o usou nos distritos de São Martinho e do Bartira. A chegada do veneno estava prevista para março, mas não deve acontecer. Por isso, a necessidade de se eliminar os focos do mosquito transmissor.

Fotos desta matéria

Envie seu comentário:
Comentário mediante a aprovação.