Comércio reabre a partir desta segunda

Lojistas terão que adotar medidas restritivas e exigir máscaras de seus clientes; abertura intercalada não “vingou”

Publicado: 19/04/20 • 16h41
Atualizado em: 19/04/20 • 17h45

    O comércio rolandense volta a abrir normalmente a partir desta segunda-feira (20), mas com as restrições de higiene e sanitárias determinadas pelo decreto 106, publicado no sábado (18). O documento veio menos de 24 horas depois do decreto que abria o comércio com intercalações por segmento. “A maioria dos comerciantes não recebeu bem a abertura intercalada”, explicou o prefeito Luiz Francisconi.
    Apesar da abertura total e como horário normal, os comerciantes terão que respeitar as medidas restritivas determinadas pelo novo decreto. Entre as medidas obrigatórias estão o uso de máscara por clientes e colaboradores, álcool em gel para clientes, filas organizadas e pessoas a dois metros umas das outras, higienização de portas, maçanetas e outros locais do estabelecimento. A medição de temperatura também é determinada, mas sem obrigatoriedade. As crianças com menos de 12 anos não podem entrar em mercearias, mercados e supermercados.
    Os hotéis, pousadas, restaurantes, bares, lanchonetes, food trucks, sorveterias e afins podem atender com 50% de sua capacidade e com todas as medidas aplicadas ao comércio. As refeições deverão ser servidas À La Carte ou com prato feito – a modalidade self servisse fica proibida, também para as sorveterias. Os horários dos restaurantes, lanchonetes e afins são até as 21 horas.
    O decreto também manteve o Distanciamento Social Seletivo (DSS) em que se recomenda que alguns grupos permaneçam isolados: idosos acima de 60 anos, pessoas com doenças crônicas (como hipertensos e diabéticos), ou em situação de risco, como obesidade e gestação de risco.


Restrições
    O prefeito Luiz Francisconi falou sobre a situação de academias de ginástica, igrejas e a volta de atendimento normal das UBSs. As academias permanecem fechadas em razão de decreto do Governo do Estado número 4.230, de 16 de março, que continua em vigor. As igrejas e templos estão abertos apenas para atendimento e aconselhamento individual e ainda há a proibição da realização de cultos e missas para evitar aglomerações, em razão de decreto do Governo do Estado número 4.388, de 30 de março, ainda em vigor.
    Algumas UBS estão fechadas por determinação do Ministério da Saúde e da Secretaria de Estado da Saúde, com a finalidade de evitar aglomerações. Outra razão é o afastamento de servidores que estão incluídos nos grupos de risco. Por isso, as consultas e procedimentos eletivos permanecem suspensos, até mesmo para que não se misture pacientes suspeitos de Covid-19 com os demais pacientes.
    Francisconi também deixou claro que o Comitê de Gestão da Crise da Covid-19 e a Secretaria de Saúde estarão atentos ao número de casos de síndrome gripal. “Se não aumentarem bruscamente, continuaremos abertos. Se começarem a aumentar, teremos que tomar novas medidas”, ressaltou o prefeito. Essas medidas podem ser restritivas ou de fechamento novamente.

Clique abaixo e veja o decreto na íntegra:

Fotos desta matéria

Envie seu comentário:
Comentário mediante a aprovação.