Os perigos das linhas com cerol em pipas

Pelo menos dois acidentes, um deles mais grave, aconteceram neste ano em Rolândia por causa do costume de soltar pipas com linhas com cerol

Publicado: 20/05/20 • 12h23
Atualizado em: 20/05/20 • 14h34

    Apesar da proibição da fabricação e da comercialização da mistura de cola e vidro, popularmente conhecida com cerol, desde 2009 no Paraná, a maioria das cidades ainda há pessoas que utilizam o produto em suas linhas quando soltam pipas. A ação coloca a vida de outras pessoas em perigo, principalmente de motociclistas que são cortados pelas linhas, transformadas em verdadeiras navalhas.

    Em Rolândia, houve, pelo menos, dois acidentes com linhas com cerol em 2020 – um deles bem grave. No dia 05 de maio, um rapaz teve um corte profundo no nariz e em um dos olhos ao ser atingido por uma linha de pipa. Ele foi levado ao Hospital São Rafael e levou sete pontos (foto). O pai da vítima fez um áudio que circulou pelas redes sociais chamando a atenção da população para o problema e para o crime. “Mesmo com capacete fechado, a linha entrou por baixo da viseira e cortou seu nariz e o olho. Graças a Deus não pegou no pescoço dele”, afirmou o pai no áudio.

    No áudio, o pai alerta para que os motoqueiros tenham cuidado ao passar por locais onde haja pessoas soltando pipa e pede para que quem for soltar, faça em local em que não tenha movimento, para evitar outros incidentes como esse.

    No outro acidente, mais grave, um homem teve um corte enorme no pescoço, que quase lhe tirou a vida. O acidente aconteceu no dia 28 de fevereiro em uma rua do Jardim Catuaí. A vítima passava pelo local e acabou sendo atingido pela linha de pipa com cerol. O corte foi enorme e o homem “nasceu de novo”, segundo palavras do médico que o atendeu. O homem foi levado para o Hospital Universitário de Londrina.

    Cerol é proibido

    A fabricação e a comercialização da mistura de cerol, e de qualquer outro produto cortante que possa ser aplicado em linhas de pipas ou papagaios, são proibidas no Paraná pela Lei nº 16.246/2009.

    O uso do cerol também é considerado crime penal capitulado nos artigos 129, 132 e 278 do Código Penal Brasileiro, além do artigo 37 da Lei das Contravenções Penais. Em caso do uso do cerol por crianças ou adolescentes, estes podem ser apreendidos e encaminhados às autoridades competentes. Já o adulto que fizer uso do cerol será conduzido, junto ao material, até a autoridade judiciária, podendo até mesmo ser preso.

    Ligue 190
    O tenente Fracaro, do 15º BPM, falou com o JR sobre o problema e ressaltou que o uso de cerol é proibido por lei estadual. “Infelizmente, não são raros os casos de ciclistas e motociclistas que se tornam vítimas do cerol, sofrendo lesões graves, gravíssimas ou até mesmo vindo a óbito. No caso de deparar-se com essa situação, a pessoa deve ligar 190 para que a polícia realize a apreensão do material e identificação do indivíduo, que poderá inclusive ser multado pelo desrespeito à norma”, afirmou Fracaro.

Fotos desta matéria

Envie seu comentário:
Comentário mediante a aprovação.