Capivara é capturada na Vila Oliveira e foge novamente

Filhote de roedor foi encontrado na Vila Oliveira e voltou a fugir depois de ser capturado com um cobertor; animal não foi mais visto desde então

Publicado: 06/08/20 • 10h22
Atualizado em: 30/09/20 • 03h31

    Um filhote de capivara foi encontrado no sábado (01) por uma moradora da região da Vila Oliveira, em Rolândia. O animal estava machucado e se encontrava próximo da rua Urânio. Após ser resgatado e deixado em uma casa, o animal voltou a fugir e desapareceu. A mulher encontrou o filhote de capivara no caminho para o trabalho. Ao se deparar com o bicho, visivelmente machucado, a primeira reação dela foi imediatamente ajudá-lo.  “Encontrei a capivara às 7:30 de sábado.  Fui devagar por trás dela e joguei uma manta. Depois eu peguei ela no colo e vi que ela era bem boazinha. Ela estava machucada e muito cansada, nem se mexeu”, relatou a “caçadora”. A mulher levou o animal até uma casa também na Vila Oliveira, e lá pediu ajuda para que alguém entrasse em contato com a Polícia Militar. Não deu tempo, a pequena capivara voltou a fugir e não foi mais vista.

    Anderson Buss, Secretário de Agricultura e de Meio Ambiente de Rolândia, explica que nessas situações a pessoa deve entrar em contato com a secretaria, se for em horário comercial e de segunda a sexta (através do fone 3156-0333) ou com o Corpo de Bombeiros, fora desses horários. “Porém, se nós chegarmos até o caso e não conseguirmos fazer a captura e o manejo deste animal, entramos em contato com a Força Verde. Podemos citar a situação em que foram encontradas uma onça parda e uma jaguatirica”, disse.

    O secretário também explicou que após fazer a captura do animal, a secretaria também fica responsável de fazer a soltura do mesmo. “Já nos ocorreu por exemplo de atendermos casos ligado a pássaros. Recentemente, tivemos a ocorrência de captura de um urubu que estava dentro de apartamento”, contou Anderson.

    O 2º Tenente Tiago Justino da Silva, Comandante do Corpo de Bombeiros de Rolândia, também falou sobre a questão das ocorrências com animais silvestres, e até mesmo questões que envolvem acidentes com animais domésticos. Ele orientou que em ambas situações é preciso fazer o contato com as equipes. “Quando um animal doméstico está em um local de difícil acesso não é necessário por exemplo a presença da Secretaria de Meio Ambiente, ou da Polícia Ambiental, e o trabalho é feito por nós. É importante destacar que o proprietário do animal precisa obrigatoriamente estar no local do resgate, pois, após ser salvo da situação de risco, ele precisa ser devolvido ao dono e não podemos trazê-lo para o quartel”, afirmou o tenente.

    Já nas ocorrências com animais silvestres, Justino explicou que o trabalho é realizado em conjunto com o Meio Ambiente e ambos se auxiliam, dependendo da gravidade da situação. “Alguns casos nós também solicitamos o apoio da Policia Ambiental, para ser feita a destinação correta do animal”, ressaltou. 

    Em situações de emergência, seja com animais silvestres ou domésticos, em que é necessário o socorro das equipes do Corpo de Bombeiro, o contato pode ser feito pelo 193, ou por meio do telefone comercial no 3176-0002. Outro local que é possível contatar em situações como esta é o Instituto Água e Terra, através do 3373-8700. Se alguém voltar a ver a pequena capivara já sabe para onde ligar.

Fotos desta matéria

Envie seu comentário:
Comentário mediante a aprovação.