Prefeitura anuncia que reduzirá serviços

Com a não suspensão de repasse de recursos à previdência, população sentirá redução na prestação dos serviços públicos a partir deste mês

Publicado: 11/08/20 • 10h27
Atualizado em: 20/01/21 • 18h37

    A prefeitura de Rolândia informou que, em virtude de a Câmara não ter aprovado a suspensão, até o fim do ano, dos repasses do pagamento da contribuição da Prefeitura à Previdência Municipal, a população passará a sentir os efeitos práticos dessa medida já neste mês.

    Roçagem, corte e poda

    Segundo o secretário de Serviços Públicos, Marcos Santucci, serão suspensos serviços como roçagem, limpeza de bueiros, corte e poda de árvores, manutenção de estradas rurais, manutenção de pavimentação asfáltica e pintura viária. “Teremos uma redução mensal de aproximadamente 400 mil metros quadrados de área roçada, somando-se a isso a redução de área da empresa Sanetran de 200 mil para 80 mil metros quadrados, chegaremos a um total de 520 mil metros quadrados não roçados, além de aproximadamente 150 bueiros que deixarão de ser limpos ao mês”, afirmou Santucci.

    O serviço de corte e poda de árvores era realizado pela empresa Sanetran e, por conta do corte de despesas, foi suspenso até que se tenha caixa para retornar. A empresa realizava em média a poda e consequente remoção dos galhos de 8 a 10 árvores por dia.

    Estradas rurais
    A prefeitura informou que a manutenção das estradas rurais vai ser paralisada, ficando uma equipe de plantão apenas para socorrer algum caso específico. “Deixaremos de manter aproximadamente 50.000 metros por mês de estradas, o que vai fazer muita falta principalmente no período de chuva e de escoamento de safra”, explicou o secretário.

    Rolândia comporta muitos pontos como áreas institucionais e fundos de vale em que os munícipes descartam lixo ou entulho ilegalmente. Esse é um trabalho recorrente que será consideravelmente afetado, uma diminuição de cerca de 75% dos serviços.

    Tapa-buracos e ciclovia
    Cerca de 150 a 200 quarteirões, entre agosto e dezembro, ficarão sem receber o tapa-buracos. Esse trabalho demanda a limpeza prévia da rua com remoção dos resíduos – que era feito por servidores terceirizados, que foram cortados pela administração. O trabalho de recuperação da ciclovia também será interrompido – já haviam sido feitos aproximadamente 1.200 metros lineares da ciclovia.

    O micropavimento, que consiste em aplicação de uma camada de asfalto de aproximadamente dois centímetros após o tapa buracos, também será afetado. Segundo a prefeitura, a programação até dezembro era de se trabalhar com esse equipamento ao menos dois dias da semana, o que seria suficiente para recape, dependendo da largura da rua, em três quarteirões, resultando em 60 quarteirões restaurados. Já a pintura viária deverá ser totalmente paralisada.

Foto(s) desta matéria

Envie seu comentário:
Comentário mediante a aprovação.