Trincheira deve ter restrições quanto a veículos

Teste feito mostrou que caminhão-baú não consegue fazer a curva para entrar na estrutura

Publicado: 14/09/20 • 10h17
Atualizado em: 30/09/20 • 03h02

    O teste “drive” na trincheira da linha férrea de Rolândia mostrou que caminhões acima de 12 metros não podem passar com segurança pela estrutura, que ainda não foi liberada para uso. Na manhã da quarta (09), engenheiros do DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), acompanhados de muitos curiosos, levaram um caminhão-baú até o local e foi constatado, de uma pequena confusão, que o veículo não conseguiria fazer a curva para entrar na trincheira, vindo da avenida Presidente Vargas – uma placa teve que ser cortada para que o caminhão seguisse. Ainda assim, passando por cima da calçada.

    Anteriormente, uma carreta bitrem fez o teste e conseguiu passar pela estrutura. Apesar disso, tudo indica que deve haver uma restrição quanto ao tamanho dos caminhões para passarem pela trincheira. No período da tarde, os engenheiros do DNIT foram até a prefeitura para falar sobre o assunto. Uma informação obtida pelo JR revela que não haverá nenhuma mudança significativa na obra e que ela deve ser entregue do jeito que foi construída. Talvez apenas com pequenas mudanças na entrada e saída da trincheira. Ainda não há uma palavra oficial do DNIT sobre o assunto e a restrição ao tipo de veículo que poderá passar pela trincheira deve ficar a cargo do município.

    Histórico
    A trincheira da linha férrea de Rolândia é um sonho antigo da população para se evitar a espera quando o trem passa pela cidade. Já houve reportagens em que ambulâncias ficaram esperando pela passagem do trem para atender a emergência. Esse problema, agora, acabou com a abertura da trincheira. A mudança do pátio de manobras também auxiliou na resolução desse transtorno.

    O projeto da trincheira é de 2011, mas apenas em novembro de 2017 a obra foi liberada pelo DNIT. Em março do ano seguinte, as obras foram iniciadas com a promessa de a trincheira ser entregue em maio de 2019. A data chegou, mas o obra se arrastou durante todo 2019. 

    Em 2020, a primeira data pra entrega cogitada foi em abril. Depois, a finalização foi transferida para o dia 31 de agosto: dois anos e cinco meses depois de iniciada e com um ano e três meses de atraso. Não foi entregue. A empresa Legnet, que executa a obra, solicitou mais um prazo para o término dos trabalhos que foram prejudicados devido às fortes chuvas de meados de julho. 

    A trincheira da linha férrea de Rolândia foi construída com recursos federais e teve um custo total de aproximadamente R$ 9,8 milhões. Ainda não há uma nova data definida para entrega da obra, realizada pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT). 

Fotos desta matéria

Envie seu comentário:
Comentário mediante a aprovação.