A Pandemia do coronavírus e o Turismo em Rolândia

Saiba como está sendo o processo de retomada de atividades deste setor no município, que sedia seminário regional no dia 24 deste mês

Publicado: 16/09/20 • 09h24
Atualizado em: 30/09/20 • 03h19

    A pandemia da Covid-19 tem afetado não apenas a rotina e a saúde das pessoas, mas também a economia mundial. As atividades relacionadas ao setor turístico são as mais prejudicadas, tendo em vista que o turismo está diretamente relacionado ao deslocamento de pessoas. 

    Desta forma, Rolândia, como a maior parte dos municípios, tem controlado atividades que possam gerar aglomerações e contato entre as pessoas. Pelo Decreto Nº 106, o município restringe os restaurantes e similares, hotéis e pousadas, a trabalharem com 50% de sua capacidade total, e seguindo todas as medidas de proteção, como distanciamento, uso de máscaras, álcool, e luvas para os restaurantes com sistema em self-service.

    Já por meio do Decreto Nº 109, o município estabelece serviços e atividades que devem permanecer fechados, como por exemplo: casas noturnas, boates e shows; clubes e associações; museus e exposições de arte; reuniões e eventos em ambientes públicos e privados; salões de festas e comunitários. 

    Apesar de todas as restrições, Rolândia tem recebido alguns turistas, principalmente de cidades do Paraná, que dão preferência a viagens com veículo próprio e a curtas distâncias. Esses turistas vêm em busca de saúde e bem-estar, contato com a natureza e novas experiências com relação à cultura e gastronomia. Desta forma, é imprescindível que os empreendedores da cidade saibam aproveitar as oportunidades que surgem, tendo em vista os novos hábitos e necessidades desses turistas/consumidores.

    Segundo a turismóloga da Secretaria de Cultura e Turismo de Rolândia, Flávia Galbero, para minimizar os efeitos negativos da pandemia, e agilizar a retomada das atividades, o município tem buscado ampliar as discussões sobre os pontos fortes e fracos, desafios e oportunidades para o setor, por meio dos conselhos e comissões municipais, envolvendo a comunidade para encontrar soluções, em meio às dificuldades financeiras e de gestão.

    “A partir dessas discussões, surgem projetos relacionados à conscientização dos munícipes e visitantes com relação à importância da preservação de locais históricos e do meio ambiente, além da estruturação do trade turístico e formalização de prestadores de serviço, e da criação de materiais voltados à divulgação e educação para o turismo”, informou a turismóloga. 

    Por conta da pandemia, a procura por áreas rurais e o contato com a natureza tiveram um aumento significativo, e neste sentido o município tem buscado descobrir as potencialidades das propriedades de economia familiar, sensibilizar os produtores sobre a possibilidade de investirem no turismo como uma alternativa de fonte de renda, e dar suporte técnico para que essas propriedades possam ser organizadas para receber os turistas. 

    Cicloturismo
    Outro segmento a ser explorado é o Cicloturismo, ou, uma forma de turismo que consiste em viajar utilizando como meio de transporte uma bicicleta, o que é muito praticado na região. Para fomentar esse segmento, está sendo desenvolvido o Circuito Pé Vermelho, um circuito regional de cicloturismo, idealizado por um grupo de ciclistas de Londrina, que integra os municípios de Londrina, Tamarana, Arapongas, Rolândia, Cambé, Ibiporã, Jataizinho, onde o cicloturista terá acesso a atrativos naturais, históricos, gastronômicos, culturais e religiosos. 

    A previsão para o lançamento é março de 2021, e, até lá, os municípios precisarão se organizar, para fornecer a estrutura e atendimento adequados aos ciclistas, o que dará um impulso ao setor turístico, com o aumento da demanda por atrativos, propriedades rurais e serviços de apoio.

    Para o segmento de eventos, ainda não existe previsão de quando as atividades poderão retornar à normalidade. Por isso, estes profissionais estão contemplados na Lei Aldir Blanc (Lei nº 14.017, de 29 de junho de 2020), que foi criada com o intuito de promover ações para garantir uma renda emergencial para trabalhadores da Cultura e manutenção dos espaços culturais brasileiros durante o período de pandemia do Covid-19. 

    A Secretaria de Cultura e Turismo está realizado o cadastramento de todos os profissionais, que, se enquadrados dentro da Lei, serão beneficiados com o auxílio, assim que houver a regulamentação municipal. 

    BOX – 4º SEMINÁRIO REGIONAL 
    Além das visitas técnicas realizadas a alguns produtores, neste ano Rolândia vai sediar o 4º Seminário Regional de Turismo Rural, em parceria com o IDR-Paraná, no próximo dia 24 de setembro, em formato online. O evento terá início às 9:00 e seguirá até às 12:00. Haverá uma apresentação cultural e depois uma abertura com as autoridades locais. 

    O Seminário é voltado a empreendedores ligados ao turismo rural, gestores municipais, agentes de turismo, conselheiros municipais e demais interessados.  Essa é uma grande oportunidade para que os produtores locais e da região possam tirar suas dúvidas e trocar experiências, para aproveitar ao máximo os benefícios que a atividade turística pode trazer.

    Também será mostrado no evento o que temos em turismo aqui no município, e depois, será feita uma comparação do que mudou no setor aqui na região no período posterior ao evento realizado em Sertaneja no ano passado. O projeto Acolhida na Colônia – Santa Catarina também será mostrado no evento, bem como, as ações estruturantes para a retomada pós Covid-19, com o Paraná Turismo. 

Fotos desta matéria

Envie seu comentário:
Comentário mediante a aprovação.