Dia sim, dia não: PM salva a vida de dois bebê engasgados

O Jornal de Rolândia conversou com o policial militar Lucas Lima, responsável pelo salvamento de um bebê de 20 dias e de outro de quatro meses

Publicado: 17/11/20 • 10h39
Atualizado em: 05/12/20 • 16h42

   A semana passada foi iluminada para o policial militar Lucas de Oliveira Lima, 35 anos. Em dois dias, na terça (10) e na quinta (12), Lucas salvou a vida de duas crianças rolandenses: um menino de 20 dias e uma menina de 4 meses - os dois estavam engasgados com leite materno.

    No primeiro caso, um menino de apenas 20 dias engasgou no início da manhã da terça. Durante seu trabalho como rádio operador no 15º BPM, Lucas recebeu uma ligação de uma senhora muito desesperada. “Ela não conseguia dizer muito bem o que estava acontecendo devido ao desespero, mas consegui entender a situação que um bebê estava engasgado”, afirmou. 

    O policial fez contato imediato com o SAMU e com as equipes policiais que estavam na rua. “Fiz contato com os soldados Suliman e Lopes”, contou. Diante da urgência os policiais se deslocaram até a residência do ocorrido na região do jardim Novo Horizonte.

    No desespero de salvar a vida do filho, o pai da criança optou por não esperar por socorro e saiu com o bebê em direção ao Hospital São Rafael. “No momento em que passou em frente ao Batalhão e viu o portão aberto, o pai decidiu entrar no local e buscar ajuda”, explicou o PM Lucas.

    Lucas estava em contato com os socorristas e se surpreendeu ao ver o pai chegando com o bebê, que já estava com o corpo todo roxo e visivelmente sem respiração. “Neste momento eu peguei o bebê nos braços e fiz os procedimentos necessários conhecido como Manobra de Heimlich”, relembra. 

    A manobra é um procedimento que consiste na compressão abdominal capaz de desobstruir as vias aéreas do bebê pela descompressão do diafragma, órgão responsável por regular a entrada e a saída de ar do corpo humano. “É basicamente pegar a criança de bruços e colocar a mão no pescoço dela. Depois, com a outra mão é necessário abrir a boca da criança e deixá-la em ângulo de 45 graus e dar alguns tapas nas costas da criança”, explicou.

    O policial fez o procedimento mais de uma vez e percebeu que o bebê tossiu e voltou a respirar novamente no colo dele. “Eu olhei a criança e verifiquei que ela voltou a respirar e estava voltando com a cor natural da pele. E aí foi uma grande emoção de todos nós”, relembrou. “Apesar de não ser a principal função da PM é muito gratificante momentos assim, nós estamos aqui para server e proteger”, afirmou.

    Lucas revelou, ainda, que o telefonema foi feito pela avó da criança, já que a mãe continua internada desde o nascimento do bebê, por complicações. O policial foi até o hospital São Rafael para visita o bebê e foi fotografado com ele no colo. “O Pai fez questão que eu tirasse a foto com o menino”, ressaltou Lucas. 

    Segundo salvamento
    Na quinta à tarde, enquanto falava com o JR, Lucas foi novamente acionado por um telefonema em que a mãe, desesperada, falava que a filha, de quatro meses, estava engasgada com leite. “Eu a orientei pelo telefone, pedi calma, e ela mesma conseguiu fazer a Manobra de Heimlich. A menina voltou a respirar”, suspirou Lucas.

    Enquanto falava com a mãe, uma equipe se dirigiu até a casa dela, que fica no Francischini, e, quando chegou, a criança já respirava. Ainda assim, a mãe e a filha foram levadas para o Hospital São Rafael.

    O policial tem 35 anos, é casado e tem um filho de 8 anos de idade. Está na corporação desde abril de 2016 e veio para Rolândia em julho de 2017.

    O que fazer quando o bebê engasga?
    A situação vivenciada pelo policial Lucas pode acontecer em qualquer ambiente que tenha crianças pequenas. O bebê pode engasgar ao se alimentar, tomar mamadeira, mamar, ou até mesmo, com a própria saliva. 

    Peça ajuda
    Ligue rapidamente para o 192 para chamar uma ambulância ou SAMU ou o bombeiro ligando para 193, e também, para a Policia Militar pelo 190. 

    Depois observe se o bebê consegue respirar sozinho. Mesmo que o bebê esteja respirando com dificuldade isso é bom sinal, pois as vias aéreas não estão completamente fechadas. Neste caso é normal ele tossir, deixe-o tossir o quanto for preciso e nunca tente tirar o objeto de sua garganta com as mãos porque ele pode entrar mais profundamente na garganta.

    Inicie a Manobra de Heimlich 
    A Manobra de Heimlich ajuda a retirar o objeto que está causando o engasgamento. Para fazer essa manobra deve-se: Deitar a criança sobre o braço com a cabeça um pouco mais baixa que o tronco e observar se existe algum objeto em sua boca que possa ser removido facilmente;

    Inclinar o bebê, com a barriga sobre o braço, para que o tronco fique mais baixo que as pernas, e dar 5 palmadas com a base da mão nas costas; Se ainda assim não for suficiente, deve-se virar a criança de frente, ainda sobre o braço, e efetuar compressões com os dedos médio e anular sobre o tórax, na região entre os mamilos. 

    Mesmo que tenha conseguido desengasgar o bebê esteja atenta a ele, sempre  observando-o. Em caso de alguma dúvida leve-o ao pronto socorro. Se não conseguir, busque por socorro o quanto antes.

    Os sinais mais claros de que o bebê engasgou são: Tosse, espirro, ânsia de vômito e choro durante a alimentação, por exemplo. A respiração pode estar rápida e o bebê ficar ofegante e não conseguir respirar, o que pode causar lábios azulados e palidez ou vermelhidão na face e ausência  respiração.

    As causas mais comuns que levam o bebê a engasgar são: Tomar água, suco ou mamadeira na posição deitado ou recostado; Enquanto está mamando; Quando os pais colocam o bebê deitado depois dele comer ou mamar sem ter arrotado ou regurgitado ainda; Pequenos brinquedos ou peças soltas; Bala, chiclete, pipoca, milho, amendoim.

Fotos desta matéria

Envie seu comentário:
Comentário mediante a aprovação.