Museu de Rolândia bomba na net

Museu de cera de Rolândia, de Arlindo Armacollo, bombou nas redes sociais; artista foi entrevistado por vários veículos do Brasil todo

Publicado: 14/01/21 • 12h26

    As esculturas de cera do Museu Izidoro Armacollo viralizaram nas redes sociais do Brasil todo nos últimos dias. O assunto “museu de cera de Rolândia” ficou nos Trending Topics do Twitter e também foi um dos assuntos mais comentados nas últimas semanas em outras redes sociais como o Instagram e o Facebook.

    A grande repercussão fez com que o artista plástico e empresário Arlindo Armacollo, 77 anos, fosse entrevistado por diversos veículos de comunicação: CNN, Globo, Uol, Folha de Londrina e, claro, Jornal de Rolândia. O JR, aliás, foi o veículo que fez a primeira matéria sobre o Museu, em março de 2015, quando era ainda no mezanino da Igreja Matriz São José.

    Nesta semana, o JR foi até ao Museu Izidoro Armacollo, no Espaço Garthen, para falar com Arlindo, que faz as esculturas de cera nas horas vagas. Parte da exposição que viralizou faz parte do seu próprio museu, construído e mantido por ele mesmo como um “presente” para a cidade onde nasceu e cresceu.

    “A princípio eu não estava sabendo do assunto, só depois de alguns dias que vieram me mostrar. É importante dizer que antes de analisar uma arte é importante saber em que ano, e em qual contexto aquilo foi reproduzido, pois conforme os anos passam, tudo muda. Mas eu não fiquei chateado não, fiquei feliz e acho que tem que reproduzir ainda mais”, disse.

    Arlindo também ficou feliz em vídeo proporcionar maior visibilidade para a cidade de Rolândia, por conta de um assunto positivo, uma vez que em muitos momentos o município teve destaque nacional, mas negativamente. “Isso permitiu a muita gente conhecer Rolândia, pois eu percebo que a nossa cidade ainda é muito pouco conhecida”, contou.

   As obras
   Arlindo já está no meio artístico há 20 anos, com pintura de quadros. Começou a se interessar por esculturas em cera e foi autodidata: em seu museu há personagens religiosos como os papas João Paulo II e Francisco, Madre Tereza de Calcutá, Gandhi e também personalidades como Elvis Presley, Michael Jackson, Albert Einstein, Ayrton Senna. Novas peças foram sendo acrescentadas o Chaves e o Kiko, o Shrek, Chico Anísio, e uma figura local, que é o “Viva-Viva”. “Neste momento estou mais focado em fazer novos quadros, pois uma escultura é realmente muito mais difícil e demanda mais tempo. Mas se fosse para fazer um próximo, eu faria a parceira do Shrek, a Fiona”, revelou.

    As esculturas do artista são feitas à mão com cera de abelha temperada com lubrificante e óleo mineral. A pintura é feita com tinta a óleo. Os dentes são próteses compradas de um dentista local. Os cabelos são perucas que foram produzidas pela costureira e peruqueira Lurdes Sartori Mendes, que já esteve também aqui no JR mostrando seu trabalho artesanal. Os olhos são importados e as roupas são compradas em lojas de Rolândia.

    Aberto à visitação
    Hoje as obras estão em um museu que ele mesmo construiu, o Museu Izidoro Armacollo, que está aberto há um ano e foi batizado em homenagem ao pai de Arlindo, que morreu em 1985. Quem se interessar em conferir as obras feitas pelo artista, basta visitar gratuitamente o local que além das estátuas, também abriga cerca de 80 quadros, todos produzidos por Arlindo.

    O prédio fica exatamente na junção das avenidas Presidente Bernardes com Romário Martins, mas a entrada para o museu está na avenida Romário Martins, no centro da cidade. O museu funciona as quartas, quintas e sextas, das 14:00 às 20:00, e aos domingos, das 14:00 às 18:00. “Tudo que está aqui exposto é para o pessoal curtir e ver, por isso, venham prestigiar e fiquem o tempo que quiser. Meu objetivo é fornecer um entretenimento a mais para todos da cidade e região”, convidou Arlindo.

Foto(s) desta matéria

Envie seu comentário:
Comentário mediante a aprovação.