Evento Imperdível: Desvendando a Agrofloresta

Experiências e conceitos básicos sobre o sistema de uma agroflorestal será pauta de evento neste mês na chácara Marabu, em Rolândia

Publicado: 17/01/21 • 13h04

    Você sabe o que é uma Agrofloresta? De modo resumido, este é um sistema de produção inspirado na dinâmica dos ecossistemas naturais, nos quais espécies florestais perenes são plantadas junto com cultivos agrícolas e criações de animais. É um sistema produtivo que concilia a produção de alimentos com a recuperação de áreas degradadas, promovendo benefícios econômicos e ecológicos.

    Para explicar melhor o conceito, o encontro “Desvendando a Agrofloresta” será realizado em Rolândia, no dia 23 de janeiro, na chácara Marabu, a partir das 14:30. O evento contará com a presença de Paulo Augusto Zubiolo, 35 anos, que se diz um grande entusiasta dos conhecimentos de agrofloresta, sistema que estuda há cinco anos.  
 
    Além dele, o curso também terá a presença de Cíntia Sevaux, 49 anos, proprietária da loja Empório Veganizando e administradora da página Veganismo por Amor. Cíntia também tem um grande conhecimento sobre o tema.

    Como participar?
    Neste encontro, serão transmitidos aos participantes vivências e conceitos básicos de um sistema de agrofloresta. “O evento é destinado ao público que tenha curiosidade em entender melhor sobre o conceito de agroflorestal, tema bem recorrente e falado neste momento, mas que ainda traz muitas dúvidas por ser um assunto relativamente novo”, explicou Cíntia.

    Paulo ainda disse que o conhecimento que será transmitido neste evento será introdutório. Apesar de muitos acharem que este é um tema novo, não o é. “A forma como a agroflorestal é utilizada é milenar, porém, para desenvolver uma adaptação à larga escala, ela teve que ser modificada para atender grandes metrópoles, após a revolução industrial. Isso significa que a agroflorestal sempre existiu, e ela continua existindo, mas agora precisamos fazer uma retomada dela em todos os processos desenvolvidos anteriormente. Isso porque temos a necessidade de proteger a natureza e o planeta neste momento”, afirmou Paulo.

    Para Cíntia, Agrofloresta é o sinônimo de respeito a natureza, é um caminho para enfrentar os maiores desafios do planeta, incluindo a degradação de solos agricultáveis e as mudanças climáticas, diminuindo o risco de colapso dos sistemas produtivos. “Hoje em dia se fala muito em agronegócio, mas precisamos entender a diferença entre ambos, pois um aborda apenas o aspecto financeiro”, disse.

    Paulo também trouxe um ponto importante sobre as grandes plantações de trigo, soja e milho que vemos hoje, e o que há por traz disso. “Cerca de 75% do que é colhido nestas grandes plantações é revertido para ração animal, e não exatamente em alimento que vai diretamente para o prato das pessoas. Mais da metade dessas plantações se transforma em ração animal, para sustentar enormes pastos e outros confinamentos espalhados pelo mundo todo, que movimento o enorme comércio de carne”, comentou.

    Com isso, o conceito de agroflorestal vem na contramão: tudo que se planta é respeitando a natureza em primeiro lugar. “A agroflorestal respeita o solo vivo, uma vez que não é utilizado nenhum agrotóxico ou aditivos. Isso é respeitar a terra e com isso a terra nos devolve este respeito da mesma forma”, assegurou Cíntia.

    É com o objetivo de levar estes conceitos de uma agroflorestal para a atual realidade, e fazer com que as pessoas transformem este discurso sustentável em uma prática aplicável, que o encontro “Desvendando a Agrofloresta” foi criado e está sendo oferecido para todos que tenham interesse. “Pretendemos mostrar neste curso que a agroflorestal não é um bicho de sete cabeças e pode ser reproduzido em vários lugares, especialmente, dentro das residências e apartamentos”, pontuou Paulo. 

    O investimento para este interessante encontro cheio de conhecimento e sustentabilidade é de R$ 40. Os interessados em participar podem entrar em contato com o WhatsApp (11) 9.8135-4542 e já garantirem o seu convite para participar deste evento, que tem vagas limitadas. Crianças de até 5 anos não pagam e crianças até 12 anos pagam R$ 20.

    Mais informações podem ser conferidas também por meio do Instagram: @emporioveganizando. O Jornal de Rolândia também é um parceiro deste projeto imperdível. 

Foto(s) desta matéria

Envie seu comentário:
Comentário mediante a aprovação.