Rolândia tem primeira sessão ordinária tensa

A 1ª Sessão Ordinária de 2021 foi realizada na quarta (17) em meio a uma polêmica que alterou os ânimos dos presentes

Publicado: 22/02/21 • 09h28

    Na quarta-feira (17) foi realizada a 1ª Sessão Ordinária de 2021 na Câmara Municipal de Vereadores de Rolândia. Nesta primeira sessão estiveram presentes o presidente da Câmara Reginaldo Silva (PSD), o 1º Vice-Presidente vereador Andrézinho (PSL), o 2º Vice-Presidente Ratolino (AVANTE), o 1º Secretário Rodrigão (PSD), a 2ª Secretária Cristina Pieretti de Souza (PP), e os vereadores Guilherme Spanguemberg (PEN), Sandro Leonardi (PSB), Isaac José Altino (PTB), Vilmar Boy (PSB) e Janaina Andreza Benelli (PSL).

    O primeiro encontro ordinário registrado na Casa de Leis do município foi um tanto quanto “tensa” e alterou os ânimos dos parlamentares. O motivo? Os vídeos com denúncias de compras de votos que circularam pela cidade no final de semana passado.  Durante sua fala, o vereador Guilherme Spanguemberg, citou o ocorrido. “Eu gostaria muito de que esse fato fosse devidamente investigado por esta casa. Porque essa situação não manchou apenas o nome do vereador Andrezinho, do vereador Ratolino e por tabela o nome do vereador Reginaldo, mas manchou o nome de todos os vereadores desta casa”, afirmou Guilherme.

    O vereador Andrézinho rebateu a questão e afirmou que também quer o mesmo esclarecimento da situação, bem como solicitado pelo vereador Guilherme Spanguemberg. “Eu já registrei um boletim de ocorrência e também quero saber o porquê do meu nome estar nessa situação. Vou até o fim para descobrir”, declarou Andrezinho.

    Com a palavra, o vereador Ratolino alegou ser imaturo a atitude de Spanguemberg, em falar a respeito do assunto que segundo o vereador, não passam de inverdades. “Quero saber quem inventou sobre os 40 mil reais que acusaram de eu ter enviado ao Andrézinho”, questionou Ratolino.

    O vereador Vimar Boy também comentou sobre o assunto e afirmou que também é necessário ter uma grande investigação sobre isso, envolvendo também o Ministério Público. “Como líder do PSB afirmo que precisamos esperar para aplicar as medidas cabíveis somente após essa investigação. Nunca fui chamado de ladrão em toda a minha vida, e está sendo muito triste ter uma primeira sessão tão conturbada como essa. Tudo isso será esclarecido e colocado em panos limpos”, disse.

    O vereador Sandro Leonardi também contribuiu com a fala de Vilmar e afirmou que essa situação manchou a imagem de todos os vereadores e afirmou que não vai julgar o posicionamento de ninguém diante do ocorrido. “Quem vai julgar e entregar para nós se existe algo de errado nisso será o delegado e o Gaeco. Tendo alguma posição sobre isso, podem ter certeza que vamos resolver a questão e isso não vai passar em branco”, assegurou Leonardi.

    Isaac José Altino também comentou sobre o ocorrido e afirmou que até na última quinta-feira, ele tinha um discurso pronto para trazer nesta primeira sessão, mas diante dos últimos acontecimentos a história toda mudou. “É muito triste estar nessa situação. Era um sonho chegar aqui e ter todo mundo unido, sem ter Rolândia estampando as páginas policiais (...). Em relação a esse episódio, o Gaeco já está investigando e espero que seja solucionado o mais rápido possível”, declarou.

    Durante a sessão, houve ainda muita intervenções do público nas cadeiras – limitado a 15 pessoas por conta da pandemia do novo coronavírus. Alguns “bateram boca” com os parlamentares e a sessão teve que ser suspensa por 5 minutos para acalmar os ânimos.

     A sessão foi transmitida online por meio do Facebook da Câmara de Vereadores de Rolândia. Para acessar ao conteúdo na integra, basta acessar o www.facebook.com/cmrolandia ou o site www.cmrolandia.pr.gov.br .

Foto(s) desta matéria

Envie seu comentário:
Comentário mediante a aprovação.