17ª Semana Nacional da Justiça pela Paz em Casa

Projeto Ceel e Conselho da Comunidade de Rolândia fazem ação especial em comemoração ao Dia Internacional da Mulher

Publicado: 13/03/21 • 17h43

    Iniciada em março de 2015 pela Federação dos Conselhos da Comunidade do Estado do Paraná (Feccompar), em parceria com a Coordenadoria Estadual da Mulher em situação de violência doméstica e familiar (Cevid), a “Semana Nacional da Justiça pela Paz em Casa” teve a adesão de diversos projetos e instituições em todo o estado do Paraná.

    O Justiça pela Paz em Casa conta com três edições de esforços concentrados por ano. As semanas ocorrem em março (marcando o Dia das Mulheres), em agosto (aniversário de sanção da Lei Maria da Penha-Lei n. 11.340/2006), e em novembro, quando a ONU estabeleceu o dia 25 como o Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra a Mulher.

    Em Rolândia, a ação está sendo promovida por uma parceria entre o Projeto Ceel, que acolhe pessoas em situação de rua, e o Conselho da Comunidade, que promove atendimento e a reinserção social aos presos da cadeia pública, aos que cumprem pena em liberdade assistida e às vítimas, pois realiza enfrentamento de esquemas que reforçam a criminalidade. O tema abordado na semana desta campanha de 2021 é sobre violência contra a mulher.

    De acordo com a assistente social Carla Andressa Souza Leite (29), que atua na função de Assistente Social no Projeto Casa Abrigo Ceel desde novembro de 2019, e também trabalha no Conselho da Comunidade de Rolândia desde o mês de janeiro, essa é uma ação muito importante especialmente agora no período de pandemia, e serve para que todos saibam que existe um trabalho de acolhimento e apoio às mulheres em Rolândia. “Com essa parceria estamos divulgando na comunidade nosso trabalho social e acolhimento de mulheres em situação de rua. Um espaço de escuta qualificada a mulheres vítimas de violência no conselho da comunidade. Nesse processo também fazemos a divulgação de telefones de atendimento no caso de situação de violência para denúncias”, explicou Carla.

    As ações da Semana fazem parte do calendário nacional de combate à violência contra a mulher e tem a participação de todos os Tribunais de Justiça do país, na tentativa de esclarecer a população sobre a importância da pacificação social, começando pelo núcleo familiar. “Essa semana estamos fazendo essas intensas divulgações dos contatos para toda a comunidade e reforçando e informando os contatos de apoio para as mulheres vítimas de violência”, ressaltou a assistente social.

    Como pedir apoio?
    O “Espaço Escuta Mulher” ocorre no Conselho da Comunidade e o atendimento é realizado com horário agendado e pode ser feito por meio do telefone (43) 3256-0881. “Também fica à disposição os telefones de abordagem social do Projeto Ceel 3311-6855 ou 3311-6880”, informou. Além disso, os telefones para denunciar anonimamente são 180 ou 181, ou ainda existe a opção de procurar o Serviço de Atendimento Especializado à Mulher (Saem) pelo telefone 3255-1883.

    Dados
    A cada seis minutos, um caso de violência contra a mulher é registrado no Paraná. Segundo o Anuário Brasileiro de Segurança Pública, em 2019, último ano com dados, foram registrados 81.865 casos do tipo no Paraná, em situações que envolvem homicídios dolosos (inclusive feminicídio), lesão corporal dolosa/violência doméstica, ameaças, estupro e estupro de vulnerável.

    Na comparação com o ano anterior, os dados divulgados pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP) apontam para um aumento de 18,59% no número de ocorrências, sendo os tipos de violências mais comuns de serem registrados os casos de ameaça (58.680 casos, o equivalente a 71,7% do total) e de lesão corporal dolosa (17.796 registros, ou 21,7%).

Foto(s) desta matéria

Envie seu comentário:
Comentário mediante a aprovação.