“Mata do Suíço” é a mais nova RPPN de Rolândia

A Reserva Particular do Patrimônio Natural, a 3ª rolandense, fica na Chácara Marabú e a apenas dois quilômetros do centro da cidade

Publicado: 24/03/21 • 15h32

    Sabe-se que os benefícios das áreas verdes urbanas são diversos e vão muito além da valorização visual e ornamental de um espaço. Elas possuem a importante função de reduzir efeitos da poluição e dos ruídos, e ainda podem servir de abrigo a diversos animais silvestres que vivem nas cidades, como pássaros, insetos e etc.

    Desde o final de 2020, a cidade de Rolândia conta com mais uma área verde preservada. A Mata do Suíço se tornou oficialmente uma RPPN (Reserva Particular do Patrimônio Natural) e se juntou a duas outras Reservas do município. A nova RPPN fica na Chácara Marabú, a apenas dois quilômetros do centro da cidade. “O melhor é que é possível ter acesso ao local tanto de carro, de bike ou até mesmo a pé”, ressaltou Adrian Saegesser, proprietário da Marabú.

    Depois de se tornar uma RPPN, a mata não pode ser mais derrubada. A Mata do Suíço tem uma área de 30000 metros quadrados e pode ser visitada mediante agendamento. “Dentre as espécies de árvores que se pode contemplar, temos a figueira branca de aproximadamente 400 anos e uma Peroba Rosa de aproximadamente 250 anos. Há, ainda, outras inúmeras espécies nativas da fauna e flora”, explicou Adrian. 

    A Mata do Suíço é a terceira área de RPPN de Rolândia, áreas que desde agora já são preservadas para o futuro. As outras RPPNs ficam na Fazenda Carambola, da família Schauff, e na Fazenda Luz do Sol, de propriedade de Lucia Helena. “Esperamos que outros proprietários se sintam animados a preservarem suas matas para que as gerações futuras tenham um ambiente saudável”, afirmou Adrian. 

    O responsável técnico desta RPPN é o engenheiro Junio da Silva Luiz. “Esse profissional se coloca à disposição para assessorar outros interessados em protegerem suas áreas de mata e também a transformarem em Reservas”, enfatizou Adrian. O proprietário ressaltou que todo o processo para transformar o local em uma RPPN levou cerca de um ano e meio.

    ICMS ecológico
    O secretário de Meio Ambiente e Agricultura, Audinil Maringonda Junior, informou que os repasses mensais de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) Ecológico por Biodiversidade no município em 2021 em valores brutos, foram de R$9.111,30 em janeiro, e de R$8.501,90 no mês de fevereiro – isso referentes a RPPN. Os dados foram extraídos de um balanço feito pelo Instituto Água e Terra (IAT). O valor deve aumentar neste ano com a inclusão de mais uma RPPN no município.

    História da mata
    Segundo Adrian Saegesser, quando os pioneiros Alice e Arnold Rechsteiner, vindos da Suíça, chegaram a Rolândia na década de 1930, os proprietários rurais tinham que, por lei, manter uma parte da mata nativa intacta. E isto os Rechsteiner fizeram e seus descendentes continuaram a fazer, principalmente a filha do casal, Úrsula, mãe de Adrian, uma das principais incentivadoras da preservação do local. “Úrsula, que hoje tem 80 anos, ainda se lembra de muitas histórias do lugar onde nasceu. Ela conta que na época de chuvas escassas sempre teve que lutar para apagar os focos de incêndio que surgiam”, revelou Adrian.

    Sobre o nome da mata, Saeuesser explicou que, como a mata pode ser bem avistada da cidade, muitos diziam “aquela é a Mata do Suíço”, que na época era o proprietário do lugar. Assim o nome surgiu naturalmente como sendo a “Mata do Suíço”.

Foto(s) desta matéria

Envie seu comentário:
Comentário mediante a aprovação.