Vereadora quer energia fotovoltaica em prédios públicos

Minuta do projeto enviado ao Executivo prevê painéis solares de energia fotovoltaica nos prédios públicos no prazo máximo de oito anos

Publicado: 29/03/21 • 10h11

    A vereadora Cristina Pieretti (PP) enviou ao Executivo uma minuta de um possível Projeto de Lei que pede a utilização de energia fotovoltaica em todos os prédios públicos do município de Rolândia. Isso no prazo máximo de oito anos. A minuta é a primeira redação, ainda não definitiva, de um projeto. “É algo que tem que partir do Executivo, então criei um Projeto de Lei e apresentei uma indicação durante a sessão na Câmara de Vereadores para encaminhá-lo à prefeitura em formato de minuta”, explicou Cristina.

    No projeto, a ideia inicial seria fazer a instalação de painéis solares para produção de energia fotovoltaica, preferencialmente, nas escolas municipais e Centros de Educação de Infantil (CMEIS) do município, até mesmo como um incentivo de conscientização sobre o tema com os alunos. Porém, devido à pandemia e ao visível aumento de trabalho nas Unidades Básicas de Saúde do município, o prefeito Ailton Maistro pediu que a vereadora fizesse uma alteração na minuta. “Ele pediu para indicar que o primeiro prédio público a ganhar a energia fotovoltaica fosse o Unidade de Pronto Atendimento 24 horas (UPA), que ainda será construída no município”, ressaltou a vereadora.

    “Em resumo, a gente pretende fazer um prédio teste que será o da UPA 24 horas e que terá as placas de energia fotovoltaica conforme a lei. O benefício é que essas placas vão fazer com que o gasto com energia caia em cerca de 80%. Essas placas começarão como teste neste primeiro prédio, e depois a intenção é levá-las para todo os prédios públicos. Além disso, pretendemos fazer com que os novos prédios públicos já sejam entregues com essa estrutura necessária que permitem a instalação de energia fotovoltaica”, informou.

    No projeto também consta que Rolândia seguirá os critérios estabelecidos pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) e utilizará os créditos oriundos da geração de energia fotovoltaica como compensação nos prédios locados pelo Poder Público até o prazo estabelecido ou naqueles em que a produção de energia, eventualmente, não supra suas necessidades, e que as despesas decorrentes da execução desta Lei correrão por conta das dotações orçamentárias próprias, suplementadas se necessário. Neste momento, a minuta se encontra nas mãos de Maistro, que pode decidir pela criação oficial de um projeto de lei, que tem de passar por votação na Câmara de Vereadores. 



Foto(s) desta matéria

Envie seu comentário:
Comentário mediante a aprovação.