Professora arrecada celulares para seus alunos usarem em aulas online

Docente da rede municipal percebeu a necessidade de ajudar algumas crianças a estudarem durante a pandemia

Publicado: 31/03/21 • 09h47

    Em um gesto de total empatia pelo próximo, a professora Rosi Muller está com uma campanha de arrecadação de aparelhos celulares. O objetivo da docente, que atua na Escola Municipal São Fernando, em Rolândia, é destinar os celulares arrecadados para os alunos que precisam estudar durante a pandemia e não possuem o aparelho. 

    A ideia teve início quando Rosi percebeu que alguns alunos de sua turma não estavam acompanhando os roteiros de estudos, pois tinham limitação na comunicação.  Além dos roteiros impressos, muitas turmas têm vídeos e outras atividades multimídias a título de complemento de aprendizagem. 

    Foi neste momento que, com a ajuda de amigos, a professora conseguiu a doação de quatro aparelhos celulares que, mesmo sendo seminovos, servem para as crianças terem contato com as atividades complementares. Dos quatro aparelhos, dois já foram recebidos e entregues para crianças de baixa renda. “É uma luta diária para tentar sempre incentivar as crianças a assistirem e participarem das aulas, mesmo à distância. É uma preocupação constante que nós professores temos, pois, não sabemos ainda quando poderemos de fato recuperar todo este tempo e voltar ao ensino presencial”, afirmou Rosi.

    De qualquer forma, mesmo com as dificuldades ligadas ao ensino remoto, a professora ressalta que, neste momento, é de extrema importância que as aulas continuem sendo a distância, pois, devido à grave pandemia, é o método mais seguro para todos. Alunos e professores. “Por isso, é muito importante que as pessoas que tiverem condição ajudem na campanha doando um aparelho em bom estado. Penso que essa ação de doar o aparelho se torna um incentivo para eles se dedicarem aos roteiros que preparamos”, afirmou.

    De acordo com a professora Rosi Muller, alguns alunos acabam deixando de acompanhar o conteúdo, pois não têm aparelhos ou estão quebrados. “Muitos alunos relataram para mim que não conseguiam acompanhar os conteúdos porque não têm celular”. A professora ainda pede aos pais desses alunos que fiscalizem a questão de joguinhos eletrônicos e outras distrações e que foquem na aprendizagem, em conteúdo educativo e nas atividades pedagógicas complementares. 

    A iniciativa é apoiada pela diretora da Escola, Rita de Cássia Lucio Barbieri. Além disso, os alunos que receberam os aparelhos tiveram os pais incluídos no grupo de WhatsApp da turma. “É importante destacar que a gente sente muita falta do envolvimento da família neste período. Nesse momento de tantas dificuldades, é essencial o envolvimento dos pais e dos responsáveis com a educação das crianças”, ressaltou Rosi.

    Como ajudar?
    Quem quiser doar algum aparelho seminovo e que estejam em bom estado (sem estar com a tela quebrada e que tenha a capacidade operacional para rodar vídeos e ou acessar vídeos de plataformas online), pode entrar em contato com o JR através das nossas mídias sociais: Instagram (@jornalderolandia) e Facebook (/JornalDeRolandia). Os contatos também podem ser com a professora Rosi Muller pelo fone/WhatsApp (43) 9.9675-3586.

Foto(s) desta matéria

Envie seu comentário:
Comentário mediante a aprovação.