Tráfego continua intenso na Vila Oliveira

Apesar de a trincheira estar aberta desde o dia 18 de março, muitos caminhões pesados ainda continuam a passar pela Vila Oliveira

Publicado: 19/04/21 • 09h26

    O trânsito continua intenso nas ruas Reinaldo Massi Esmerada, na da Vila Oliveira, em Rolândia. Muitos caminhões e carretas continuam passando pelo local indo para o estado de São Paulo ou vindo de lá com direção a Arapongas. Essa situação continua apesar de a trincheira ter sido aberta no dia 18 de março, portanto, há quase um mês. “As adequações feitas nos raios de giros da trincheira permitem o tráfego de automóveis e caminhões”, garantiu Elcio Guerino Filho, chefe do Serviço da Unidade Local do DNIT de Campo Mourão, em resposta ao jornalista Ted Perez.

    Há um certo receio de que os caminhões maiores possam ter algum problema para passar pela trincheira, mas os caminhões e as carretas “menores” passam pelo local, se respeitada a velocidade permitida de 30 km/h. 

    Placa retirada
    Para “piorar” ainda mais a situação, uma placa alertava os motoristas de caminhões que vinham da PR-170 a passar pela Vila Oliveira. Essa placa está no local há mais de dois anos e continuava lá, até a reportagem chamar a atenção do secretário de Serviços Públicos, José Luís Polvani. “Eu vou pedir para tirar essa placa ainda hoje”, afirmou. A placa realmente foi retirada na terça-feira (13), dia da entrevista.

    Sobre o tráfego pesado ainda na Vila e dentro da cidade, o secretário lembrou que a cidade espera pela instalação das placas do Departamento de Estradas e Rodagens (DER). “O órgão vai instalar essas placas na PR-170 e na BR-369 desviando o trânsito pesado do trecho urbano de Rolândia. As placas na PR-170 mandariam os caminhões pesados que vão para Arapongas para o Contorno Norte e, depois, para o Contorno Sul. Já as placas da BR-369 orientariam o trânsito pesado com direção a São Paulo para os contornos Sul e Norte. “Nós estamos dependendo do DER, são eles que podem instalar essas placas, mas está tudo acertado já”, ressaltou Polvani. 

    Sobre o tamanho de caminhões que poderão passar pela trincheira, o secretário afirmou que presenciou um caminhão bitrem passando pelo local na segunda-feira (12). “Passou de boa em uma velocidade tranquila”, salientou Polvani. O secretário de Serviços Públicos também revelou que haverá um limite de peso para caminhões poderem passar por dentro da cidade e utilizar a trincheira. “Mas não sei exatamente qual será esse limite”, afirmou.

    Outro ponto crítico é na entrada da Vila Oliveira quando se vem de Arapongas: automaticamente os caminhões, de qualquer tamanho, viram à esquerda para pegar a rua Esmeralda. Para isso, precisam invadir totalmente essa rua. Não há nenhuma placa alertando sobre a trincheira e muitos desses caminhões poderiam passar por ela, diminuindo o tráfego na Vila Oliveira, mesmo ainda sem a proibição dos trânsito pesado dentro de Rolândia.

    Acidentes
    A esquina das ruas Esmeralda e Reinaldo Massi já teve vários acidentes por causa do trânsito intenso, felizmente nenhum fatal. Em novembro do ano passado, por exemplo, o rodado de uma carreta escapou no momento da curva, rolou e bateu na porta de vidro de um salão de beleza localizado na esquina.

    Em janeiro, o DER realizou um estudo para retirar o trânsito pesado das ruas centrais de Rolândia, que agora aguarda pela colocação dessas placas. Uma lei terá que ser feita para que a proibição do trânsito pesado seja efetiva e o prefeito Ailton Maistro falou sobre o assunto quando da abertura da trincheira, em março. Essa mudança traria enormes benefícios ao município como menos desgaste na avenida Aylton Rodrigues Alves e maior segurança no trânsito naquele trecho, principalmente para motociclistas, ciclistas e pedestres.

Foto(s) desta matéria

Envie seu comentário:
Comentário mediante a aprovação.