Cervin ganha cilindro e modeladora de pão

Doações de equipamentos de quase R$ 9 mil foram feitas pelos Rotary Clubs de Rolândia-Caviúna e de Londrina-Sudeste

Publicado: 27/04/21 • 10h15

    O Centro de Recuperação Vida Nova (Cervin), de Rolândia, vai incrementar a sua padaria nos próximos dias. A entidade ganhou um cilindro elétrico e uma modeladora de pão, doados pelos Rotary Clubs de Rolândia-Caviúna e de Londrina-Sudeste. Os equipamentos, que custaram cerca de R$ 8,9 mil, foram entregues nesta segunda-feira (26) na sede da entidade. Foram doados um cilindro industrial elétrico inox com pedestal e um modelador de pães e mesa.

    “Essa doação foi fundamental. Era uma necessidade nossa, mas para a qual não tínhamos recursos.”, afirmou Edson Galvan, presidente do Cervin. Ele se lembra que conversou com Fátima Cavalaro Gaffo, presidenta da Rotary Rolândia-Caviúna, em dezembro e ela perguntou do que a entidade precisava. “Os padeiros que passaram por aqui sempre falavam desse cilindro e dessa modeladora de pães”, ressaltou Edson. “Os dois clubes foram bem rápidos em nos atender e as máquinas já chegaram. O resultado disso vai estar na mesa todos os dias desses acolhidos”, concluiu Edson.

    Fátima Cavallaro explicou que a parte do dinheiro repassada pelo Caviúna é fruto da promoção do Barreado. “Por isso é muito importante quando as pessoas nos ajudam em nossas promoções. Aqui, podemos ver isso se tornando realidade na ajuda para outras pessoas”, ressaltou Fátima. O principal uso das máquinas será para se fazer o pão francês para consumo interno.

    O presidente do Rotary Londrina-Sudeste, Arthur Harbs, afirmou que essas doações fazem mais bem para quem doa do que propriamente para quem recebe. “É a primeira vez que doamos esse tipo de material”, revelou. Arthur também falou da parceira com o Rolândia-Caviúna, que tem dado muito certo. “Começamos a nossa parceria, e a nossa amizade, no show de patinação, há alguns anos. Não paramos mais”, relembrou o presidente.

    Hudson Celso Licha, 50 anos, é o padeiro do Cervin, onde aprendeu o ofício durante o seu tratamento. “Fazemos cerca de 250 pães do tipo francês para consumo próprio, mas sem modeladora. Também fazemos de 15 a 20 pães caseiro para a venda”, explicou Hudson. O padeiro afirmou que terá que aprender a trabalhar nesses equipamentos, mas que eles vão melhorar a sua produção. “O outro cilindro nosso travava de vez em quando, parava. Agora, temos um bem moderno”, comemorou Hudson.

Foto(s) desta matéria

Envie seu comentário:
Comentário mediante a aprovação.